Home » Cultural

Citânia Sanfins e Monte Córdova [27/04/2013]

20 Abril 2013 Sem comentários

3202822

Citânia de Sanfins e Monte Córdova

Paços Ferreira / Sto. Tirso

27/04/2013

 

Na primeira atividade do Departamento Cultural, vamos viajar no tempo em direção à idade do ferro, com visita à Citânia de Sanfins, um dos principais castros do nordeste peninsular,  e passeio ao castro do Monte Padrão, tudo envolvido pelo património natural do rio Leça, incluindo a sua nascente, as Quedas de Fervença e as azenhas e carvalhais de Valinhas.

Programa

  • 10h15 – Museu Arqueológico da Citânia de Sanfins – Sanfins de Ferreira
    (encontro à porta do museu; Coord. GPS: 41,321296, -8,370333Mapa)
  • 10h30 – Visita guiada ao Museu e à Citânia de Sanfins
  • 12h30 – Nascente do rio Leça (de carro)
  • 13h00 – Valinhas (de carro)
    Almoço
  • 14h30 – Percurso circular PR 1 ST – Histórico Pré-Industrial
    Valinhas (Carvalhal e Azenhas) – Monte Padrão (Castro) – Serra Hidráulica de Pereiras – Quedas de Fervença – Valinhas
    Distância estimada: 7 Km, percurso médio/fácil.
    Notas

    • Os pontos chave do percurso são facilmente acediveis de carro, para quem não quiser caminhar (ou podem aguardar pelo resto do grupo em Sto. Tirso a comer Jesuitas…)
    • Dependendo do tempo e da vontade dos participantes, poderemos ainda visitar o Museu Abade Pedrosa (Sto. Tirso) onde se encontra o centro interpretativo do Castro do Monte Padrão. O Museu encerra às 18h00.

Percurso Monte Córdova_550px

Descrição

A Citânia de Sanfins

Situada num planalto, numa posição cimeira que lhe conferia uma grande segurança face às invasões, é hoje um dos principais testemunhos da cultura castreja do noroeste peninsular, encontrando-se a decorrer o processo de candidatura dos castros a Património Mundial da Unesco.

Numa ampla plataforma, ocupando cerca de 18 hectares, as escavações efetuadas deixaram à descoberta uma centena e meia de habitações de planta circular e quadrangular, agrupados em cerca de 40 conjuntos de unidades familiares.

Teremos oportunidade de visitar uma reconstrução de uma destas unidades familiares, permitindo visualizar a sua volumetria no contexto arqueológico, bem como os espaços interiores – páteo ou rua, casa principal com anexo ou vestíbulo bem como uma casa circular de apoio e todo um conjunto de anexos que funcionariam como locais de armazenamento, bem como para recolha de animais – ovinos, caprinos, bovinos e cavalos.

Entre os séculos II a.C. e o seu total abandono no séc. IV d.C., a Citânia de Sanfins desempenhou um papel de grande metrópole e de centro cultural de toda uma região.

Monte Padrão

 Classificado como Monumento Nacional desde de 1922, o Castro do Monte Padrão foi escavado a primeira vez na década de cinquenta e assumiu, desde então, uma extraordinária importância científica para o estudo do passado longínquo da região.

A mais antiga ocupação registada no Monte Padrão reporta-se ao Bronze Final, período cronológico, a que genericamente corresponde o período de formação da “Cultura Castreja”.

Pereiras

A Serra Hidráulica de Pereiras é um notável exemplo da arquitetura pré-industrial. Dedicada à serração de madeira para uso industrial e doméstico, recorria à força da água para mover o engenho de serrar. Classificada como Imóvel de Interesse Público, irá ser reabilitada, tornando-se um polo museológico das atividades pré-industriais do Concelho de Santo Tirso.

Senhor do Padrão

Pequena capela setecentista localizada no Monte Padrão, onde se conserva uma imagem em granito policromado de Cristo Crucificado. Reza a lenda que esta capela marca o lugar onde esteve implantada a antiga igreja e mosteiro beneditino de Monte Padrão.

Azenhas de Valinhas

Com vista a aproveitar a energia da água para moagem dos cereais, para a serração e também para o apisoamento de tecidos, foram-se estabelecendo ao longo dos vários afluentes do Rio Leça moinhos e azenhas. As azenhas de Valinhas possuem um grande valor para compreensão das pequenas atividades económicas de subsistência a nível local.

Quedas de Fervença

Lugar pitoresco localizado junto ao Carvalhal de Valinhas, onde as quedas de água apresentam um espetáculo magnífico da Natureza, correndo o Rio Leça célere até estas quedas.

Rio Leça

Rio que nasce no Concelho de Santo Tirso, serpenteando pelas freguesias da parte Sul do Concelho, e correndo para o Atlântico, onde desagua junto à cidade de Matosinhos. Ao longo deste rio de águas límpidas, no seu percurso de montanha podemos observar uma multiplicidade de fauna e flora que coabitam nas suas margens. O Homem desde cedo que o utilizou, podendo encontrar-se vários moinhos e azenhas ao longo do seu percurso distribuídos pelas terras que este rio percorre.

Para saber mais

Inscrições

O valor de inscrição inclui seguro, acompanhamento, entrada e guia especializado nos espaços arqueológicos.

  • Associados c/ quotas de 2013:
    • Adultos 2€
    • Crianças e estudantes (filhos de associados c/ cotas 2013): 2€
  • Não associados ou sem quotas 2013 pagas:
    • Adultos 5€
    • Crianças e estudantes 2,5€

Enviar inscrição para: geral@ventonorte.com (Luís Salgado) com nome, data de nascimento, número B.I. e indicação se vai ou não caminhar (para efeitos do seguro)

Nota: O pagamento pode ser efetuado no dia, mas a inscrição deverá ser confirmada até 5.ª feira, dia 25 abril;

Deixe o seu comentário!

Seja simpático(a). Mantenha-se dentro do tema de forma clara, limpa e sem publicidade não solicitada (spam).